Contactos
+351 21 799 55 30 +351 21 799 55 38 Rua Abranches Ferrão, Nº 10 – 14º, 1600-001 Lisboa

Slide Uma iniciativa da Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia

Sobre a Saúde Digestiva

Slide

Especializada no aparelho digestivo, a Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia é uma associação científica, sem fins lucrativos e de utilidade pública, que se propõe a: colocar a Gastrenterologia ao serviço da saúde dos Portugueses; estimular a investigação, o conhecimento e a difusão de ideias; promover contactos nacionais e internacionais; desenvolver atividades educacionais; e exercer atividades de consultadoria.
Prevenir, diagnosticar e tratar são as 3 palavras-chave que nos motivam a estar na linha da frente da Saúde Digestiva.

O aparelho digestivo é composto por alguns dos nossos órgãos mais importantes: mede cerca de 10 metros e vai da boca ao ânus, passando pelo esófago, fígado, vesícula, estômago, pâncreas, e intestinos delgado e grosso. A missão deste sítio é ser um porta-voz e uma fonte credível de informação, e demonstrar que se dermos a devida importância e atenção a toda esta dimensão e abrangência, vamos influenciar positivamente a Saúde Digestiva de todos nós. Pois se somos o que comemos e se existe um eixo Cérebro-Intestino-Fígado, a Saúde Digestiva está no centro das atenções e das nossas vidas.

O objetivo da iniciativa Saúde Digestiva é promover um conhecimento mais aprofundado do aparelho digestivo e uma maior consciência do que todos temos de fazer, enquanto médicos, pacientes e cidadãos, não só para combater as doenças e sintomas do sistema digestivo que afetam a qualidade de vida de aproximadamente 1/3 da população, mas acima de tudo para incentivar a adoção de hábitos alimentares saudáveis e de atividade física regular, que são o melhor contributo que podemos dar ao nosso bem-estar digestivo.

Slide

Slide

esófago

O esófago é um tubo muscular com cerca de 20 cm de comprimento, que liga a boca (em particular a faringe) ao estômago. Está associado a múltiplas doenças, sendo o refluxo gastroesofágico (DRGE) a mais comum e que mais impacto económico acarreta.

No Ocidente, afeta 25% da população. A saúde digestiva do esófago depende do controlo de fatores de risco para as doenças mais prevalentes (DRGE e cancro do esófago), como tabagismo, álcool, excesso de peso, bebidas quentes e ácidas. As fibras na dieta são um fator positivo, não só para o esófago, mas para a saúde em geral. Há quem lhe chame “o canal da sopa”.

estômago

O estômago é um dos principais órgãos digestivos, com um papel central nos processos mecânico e químico da digestão. A gastrite é a doença mais comum e o cancro é um problema mundial: o 3º em termos de mortalidade com mais de 70.000 mortes anuais.

Tratar bem do estômago é fundamental, através de uma dieta equilibrada, rica em peixe, aves, fruta e vegetais, e de exercício regular, deixando de lado o tabaco, o álcool e as gorduras. Uma curiosidade: quando ficamos apaixonadamente com borboletas no estômago, provavelmente deve-se à ligação direta entre o cérebro e o trato digestivo. Quem nunca teve dores de estômago?

Slide

Slide

intestino delgado

O intestino delgado é a parte mais comprida do tubo digestivo que vai do estômago ao intestino grosso, entre curvas e contracurvas mede 6 a 9 metros de comprimento. Está ligado à digestão e absorção dos nutrientes, aloja um “ecossistema” interno de bactérias e microrganismos (Microbioma) e tem uma vasta e rica população neurológica – daí dizer-se que é o segundo cérebro.

Cerca de 20 mil portugueses sofrem de doenças inflamatórias do intestino: Doenças de Crohn e Colite ulcerosa. A gastroenterite aguda (vómitos e diarreia) é das doenças mais comuns entre os portugueses.
Dieta variada e equilibrada e utilização criteriosa de antibióticos são os segredos para manter uma boa saúde intestinal.

fígado

O fígado é um órgão de suprema importância, o coração do sistema digestivo, o órgão mais pesado do organismo (1,5kg), sem o qual não sobrevivemos e para o qual não existe substituição. As doenças do fígado, com destaque para o cancro e para as hepatites, causam anual e mundialmente a morte de cerca de 2 milhões de pessoas.

É a 4ª fatalidade por cancro no mundo e a 8ª em Portugal por doenças do
fígado. Pelo que é fundamental seguir os três mandamentos que garantem a saúde do fígado:
reduzir a ingestão de tóxicos – o álcool tem um impacto tremendo; evitar comportamentos de risco que abram a porta às hepatites; e ter uma dieta saudável, com exercício físico.

Slide

Slide

pâncreas

O pâncreas (do grego pan – tudo e kreas – carne) é um pequeno órgão escondido atrás do estômago, com um papel vital para a digestão e para o equilíbrio hormonal, cujas funções permaneceram desconhecidas até ao século XIX. As doenças do pâncreas englobam doenças hereditárias, autoimunes, inflamatóriase oncológicas, destacando-se o cancro do pâncreas pelo aumento significativo da sua prevalência nas últimas década.

Do sistema digestivo, é o que tem pior prognóstico e maior taxa de mortalidade, com uma incidência que tem vindo a aumentar, e é o 3º tumor digestivo mais frequente em Portugal, logo após o cancro do cólon e do estômago.
O tabaco, álcool e a obesidade são os principais inimigos para a saúde do pâncreas.

cólon e o reto

O cólon e o reto são os dois órgãos que compõem aquilo que é conhecido como intestino grosso, responsável pelo transporte e armazenamento dos resíduos resultantes da digestão, e pela absorção de grande parte da água e minerais que necessitamos para viver.Por aqui caminham fezes. É aqui que mora uma grande parte das nossas 100 triliões de bactérias do microbioma.

O cancro do cólon e do reto é o mais frequente entre os portugueses, apesar de ser um dos poucos que é evitável. Na dieta, a quantidade é mais relevante que a qualidade.
Devemos fazer das tripas coração para reduzir tabaco, álcool, calorias, gorduras, produtos processados e peso.

Slide